UMA BREVE ANÁLISE DA MÚSICA “COMIDA” DA BANDA TITÃS


A música “Comida” da banda titãs do CD “Jesus não Tem Dentes no País de Banguelas” gravado em 1987 pela WEA, composta pelos músicos Arnaldo Antunes, Marcelo Frommer e Sérgio Brito - componentes do grupo. A crítica social e descontração fazem parte das letras do grupo. Além da música em questão, o álbum contém mais doze canções em que estes elementos seguem claramente. “Nome aos Bois”, Desordem, Mentiras são algumas das canções que têm semelhança com o sentido da música aqui analisada. O próprio álbum, que também é o nome de uma das canções, podemos citar como uma dessas canções marcantes do grupo.

Além da banda Titãs existiram outras com o mesmo seguimento musical na década de 80, como RPM, Gang 90, Kid Abelha entre outras. Bandas essas que têm como base o New Wave, sengundo Sílvio Anaz*. Dentro dessa visão, o autor apresenta a semelhança entre esses grupos musicais: estruturas rítmicas; melódicas e harmônicas.

Estrutura da música “Comida”

Rítmo: A presente repetição da mesma célula rítmica apresenta o que Sílvio comenta no tocante sensorial e corpóreo inerente à música pop da década de 80.
Harmonia: Com uma melodia de poucos acordes, o que valoriza e facilita a memorização da melodia. Tecnicamente, ela possui três acordes. Sendo construída em dois momentos na sua execução o que é característico das canções da mesma época.
Melodia: Sua melodia esta próxima à declamação do que propriamente o canto, semelhantemente ao Rap. Esta técnica é também uma característica do grupo titãs.

Uma visão da música com base na Semiótica.

A análise em questão leva em consideração a questão histórica e comportamental dos jovens dos anos 80. Sendo visto, especificamente, letra. Questões linguísticas também foram analisadas.

(1)
“Comida”


(2)
Bebida é água
Comida é pasto
Você tem sede de que?
Você tem fome de que?


(3)
A gente não quer só comida,
A gente quer comida diversão e arte
A gente não quer só comida,
A gente quer saída para qualquer parte


(4)
A gente não quer só comida,
A gente quer bebida, diversão, balé
A gente não quer só comida,
A gente quer a vida como a vida quer

(5)
Bebida é água
Comida é pasto
Você tem sede de que?
Você tem fome de que?

(6)
A gente não quer só comer,
A gente quer comer e quer fazer amor
A gente não quer só comer,
A gente quer prazer pra aliviar a dor

(7)
A gente não quer só dinheiro,
A gente quer dinheiro e felicidade
A gente não quer só dinheiro,
A gente quer inteiro e não pela metade

(1) O nome da canção apresenta uma palavra que indica necessidade humana.

(2) As palavras “comer” e “beber” indicam a ação das necessidades básicas do homem. Em seguida algumas perguntas que provocam tais índices.

(3) E (4) Nestes pontos, os autores apresentam que o homem não necessita apenas destas questões básicas, o simples fato de comer e beber.

As demais estrofes, conclui a intensão dos autores em que a crítica social está presente com um pouco de diversão pela qual eles apresentam também como uma necessidade básica do homem.


Referências:

* ANAZ, Sílvio – Pop brasileiro dos 80 anos: uma visão da poética das canções mais cultuadas, São Paulo, Mackenzie, 2006.

< www.titas.net> Acesso em 30 de nov. 2011.

4 comentários:

  1. O que quer dizer com: bebida é água e comida é pasto?


    O que os titãs defendem e criticam nessa música?

    ResponderExcluir
  2. Quis dizer que água e pasto são itens básicos e que eles desejam algo além.

    ResponderExcluir
  3. Na minha visão eles falam da pirâmide de Maslow, onde ele cita as necessidades humanas das básicas ( fisiológicas como, agua e comida até a de realização pessoal, status, autoestima).

    ResponderExcluir
  4. Analise muito superficial, tem muita coisa pra ser falada...

    ResponderExcluir